Educação Infantil: Como levá-la para os outros anos do colégio?

3 minutos para ler

Durante alguns encontros de formação de professores de diversos colégios ouço uma pergunta que não é fácil de responder, mas que na realidade é a resposta para tudo que propomos: Mas como facilitar na educação infantil?

A resposta para essa pergunta não é de fácil compreensão, mas parte da premissa de que a educação infantil como pensada e estruturada por Friedrich Fröbel, denominada Jardim de Infância (Kindergarten no original em alemão) é a estrutura da qual buscamos nos aproximar quando falamos da educação do século XXI em todos os anos escolares.

A resposta portanto é: a educação infantil é facilitada desde o século XIX!

No que se baseia a educação infantil?

Citada por Mitchel Resnick, um dos mais respeitados pesquisadores sobre educação dos nossos tempos, como “a maior invenção do milênio”, a ideia básica de Fröbel é a de disponibilizar ferramentas e brinquedos através dos quais as crianças possam treinar habilidades que já possuem, enquanto manifestam novas habilidades, através de um processo onde possam exteriorizar seu mundo interior ao mesmo tempo que interiorizam as descobertas do mundo externo.

O nome Jardim de Infância vem da ideia de que os educadores devem cuidar das crianças como um jardineiro cuida do seu jardim. É importante fornecer espaço, sol e nutrientes para as plantas poderem se desenvolver, mas a grande verdade é que esses seres da natureza se desenvolvem sozinhos, aprendendo com suas experiências e com o entorno como devem se comportar para atingir o seu potencial máximo.

Parte importante do processo educacional presente no jardim de infância é a interação social, que também pode ser explicado no reino vegetal através das ideias de Ana Primavesi, que nos apresenta o conceito de biocenose do solo, onde a interação de uma planta com o solo e a micro-vida presente no espaço ocupado por suas raízes é o que realmente fornece estrutura para que ela cresça saudável.

Aprendendo a Aprender

Baseado no conceito da busca por formar pessoas autodidatas, transferir os conceitos da educação infantil para os outros momentos do colégio está diretamente relacionado em fornecer um ambiente onde os jovens possam se direcionar aos seus interesses e desenvolverem-se a partir do autoconhecimento adquirido com auxílio dos educadores, onde trabalhou-se o entendimento de qual o melhor formato para o seu desenvolvimento individual.

Um dos 8 pilares da Electi está diretamente relacionado a essa ideia, o de Equilíbrio de Poder. O poder aqui resume-se na habilidade de ampliar o campo das possibilidades, compreendendo que assim como compartilhamos educandos e educadores, o espaço e o direito de ocupá-lo, também compartilhamos as possibilidades que são criadas a partir dele. A necessidade de gerar autonomia e confiança para os educandos assumirem um papel ativo na sua própria educação é imprescindível para resgatarmos o que há de mais bonito na educação infantil.

Somam-se a esse pilar outros dois, o de gerarmos um Ambiente Emocional Positivo, onde os alunos tenham tranquilidade de se relacionarem entre si e com os educadores, onde haja um bom Relacionamento, Afeto e Comprometimento, de todos para com todos.

Faço aqui a promoção de um ideal pessoal muito simples. Por que nos preocuparmos em fazer a transição do aluno da educação infantil para a fundamental, se podemos fazer a transição do ensino fundamental para um modelo mais acolhedor, efetivo e saudável para o desenvolvimento cognitivo e Socioemocional dos nossos queridos educandos?

Você também pode gostar

Deixe um comentário