Educação Virtual: Como manter os estudantes atentos?

5 minutos para ler

Resumo: A educação virtual busca seguir evoluindo dentro de suas formas e conteúdos, o que nos possibilita hoje conhecer formas e metodologias de aproximação entre educador e estudante mais potentes para que haja manutenção da atenção e desenvolvimento dos alunos nos ambientes virtuais de aprendizagem. Tendo como foco o melhor aproveitamento dessas interações, acreditamos na necessidade de elucidarmos alguns conceitos e visões de atuação para apoiar o educador na sua trajetória.

Nos últimos tempos temos ouvido falar muito de Ambientes Virtuais de Aprendizagem, que dão suporte para a educação virtual, carinhosamente apelidados de AVA. São sistemas computacionais disponíveis na internet, destinados ao suporte de atividades mediadas pelas tecnologias de informação e comunicação. Permitem integrar múltiplas mídias, linguagens e recursos, apresentar informações de maneira organizada, desenvolver interações entre pessoas e objetos de conhecimento, elaborar e socializar produções tendo em vista atingir determinados objetivos. 

Importante elucidar o conceito de educação virtual, que, para muitos, significa uma evolução nas práticas da educação à distância uma vez que tem uma enorme capacidade dinamizadora do processo de ensino e aprendizagem. Além de permitir o acesso a diferentes meios de apoio fundamentais para a educação à distância, como material didático, por exemplo, ela possibilita uma nova estrutura de comunicação com a utilização de redes de intercâmbio que antes eram inviáveis. 

Se levarmos em consideração a dificuldade de manter atenção de nossos estudantes em sala de aula, imagina para onde vai o foco deles num computador ou celular dentro de casa. A capacidade do educador de se utilizar de toda essa gama de possibilidades de interação é, por fim, o diferencial  para manter o estudante atento, possibilitando que ele possa “passear” pela internet e por entretenimentos enquanto estuda e aprende sobre os temas levantados. Entra em cena então o “professor digital”, que deixa de ser a única via de conhecimento, e passa a ser um guia pelo mundo digital, um curador de conhecimentos, um influenciador da aprendizagem, ou seja, um grande facilitador que atua no modelo da educação virtual se utilizando das potenciais do AVA.

Tudo isso é muito lindo, mas como inserimos as principais tendências da educação nesse contexto?

 Anant Agarwal, fundador e CEO da edX e professor do MIT, descreve 3 tendências da educação para o mundo de hoje, são elas: enfatizar habilidades híbridas, ir no sentido de estratégias de uso simultâneo e interligado de diferentes canais de comunicação, e as habilidades interpessoais. As duas primeiras estão muito conectadas ao mundo virtual, mas como desenvolvemos capacidade de colaboração, comunicação, pensamento crítico, inteligência emocional, e tomadas rápidas de decisão, por exemplo, na educação virtual? Vemos aqui a necessidade de compreendermos como atua um facilitador educacional online.

O facilitador educacional online traz na sua bagagem de atividades diversas dinâmicas que visam o desenvolvimento do grupo como um todo, sem esquecer da formação do indivíduo que, para esse contexto de distanciamento, passa a ter um fluxo de aula pensado em manter a energia e a presença em alta, mesclando atividades em grupo e individuais, com conteúdo ou de manutenção de energia, de produção e de pesquisa de conhecimento, focando no planejamento da sequência dos momentos da aula visando maior aproveitamento do tempo de contato com os estudantes. 

Com esse raciocínio em mente, o desenvolvimento das habilidades interpessoais não ficam relegadas aos famosos “trabalhos em grupo”, já que tem inserções pensadas para esse desenvolvimento em diversos momentos da aula, podendo se somar facilmente às outras duas tendências, se utilizando de diversas estratégias de utilização da rede de conexão mundial e de aplicativos, formando um aluno conectado com o mundo virtual, e com capacidade de se adaptar a diversas situações e formatos de atuação.

Ainda assim, compreendemos as dificuldades de planejar uma aula na educação virtual, e entender quais sãos os objetivos gerais e específicos que devem permear o tempo de interação entre educador e estudantes, e entre os próprios estudantes, mesclando e concatenando atividades que permitam que eles tenham momentos individuais de produção e desenvolvimento de seu próprio raciocínio, e dinâmicas que evidenciem o conhecimento coletivo, do qual todos devem tirar o melhor proveito para potencializarem seu desenvolvimento pessoal, dentro das habilidades relacionais e intrapessoais.

A Electi desenvolveu, e segue sempre ampliando o seu Banco de Dinâmicas (online e presenciais), que visa dar suporte ao educador facilitador para desenvolver sua lógica pessoal de fluxo para cada aula, levando em consideração todos os aspectos já abordados anteriormente, como manutenção da presença e energia dos estudantes, e os desenvolvimentos coletivos e individuais de cada um. A grande sacada na educação virtual é, por fim, uma aula focada na utilização de diversas mídias simultâneas, enquanto aprende coletivamente, tendo um educador que orienta o conhecimento, e traz uma aula divertida e dinâmica.

Você também pode gostar

2 thoughts on “Educação Virtual: Como manter os estudantes atentos?

Deixe um comentário