Onde está o equilíbrio?

4 minutos para ler

Resumo: Quando o assunto é equilíbrio podemos pensar em diversos termos que essa palavra deriva, diferentes tipos e definições. De uma forma geral, equilibrar-se seria manter-se estável, sem desvios ou oscilações. A Electi em sua metodologia nomeou um dos seus pilares como Equilíbrio de Poder, e neste artigo irei trazer a importância desse pilar e das ferramentas que temos disponíveis para potencializar encontros humanos com equilíbrio. 

Você já parou para pensar quanto o seu protagonismo é importante pra você?

Durante um dos módulos da nossa formação de facilitadores me vi extremamente incomodada com o meu lugar de fala, invariavelmente, observei que eu tinha que estar a frente de todas as perguntas que eram feitas ou deveria reiterar argumentos que os outros participantes traziam agindo em defesa deles.

Nessa nova experiência motivada pela forma em que a formação é conduzida, me vi vulnerável e compreendi que a potência se dá através da participação dos diferentes protagonistas que compõem aquele grupo, que se intercalam em diferentes momentos, e que só existia ganho quando eu abria mão desse do meu protagonismo.

O protagonismo por sua vez constitui em falar e saber todas as respostas, e com isso lembrei-me do livro “Os quatro compromissos” de Don Miguel Ruiz onde o primeiro compromisso aponta a “impecabilidade da palavra”, ressaltando o uso da palavra relacionando esse uso com a lei da ação e reação, como criamos e materializamos os nossos pensamentos. 

E onde encontramos na fala o silêncio? O silêncio abre opções, traz reflexões internas, permitindo pensar, respirar e analisar o momento apropriado de fala. Traz equilíbrio para a vivência convidando as pessoas a participarem, a falarem e também serem protagonistas dentro do seu momento e trazendo intervenções mais conscientes e responsáveis.

A vivência da formação reverberou em mim muitas reflexões sendo uma delas esse equilíbrio, rico e potente, entre as relações humanas.

Ferramentas e equilíbrio

Compreendi que a minha necessidade de protagonismo vem de diferentes lugares, desde a forma como eu fui educada, escolas onde estudei e até locais onde trabalhei, notando que nesses ambientes o importante era ter poder, e esse poder significava obter e ter respostas para tudo. 

E no momento da formação quando fomos apresentados aos pilares da metodologia Electi, eu não entendia o quão potente era dar espaço para os demais participantes de um grupo, parar e exercitar a escuta ativa, olhar no olho de quem estava falando, respirar fundo e apenas estar presente para o outro e para o grupo. Ferramentas que abrem espaços e ampliam possibilidades, permitindo o entendimento, diminuindo a ansiedade e que levam ao equilíbrio.

E o Equilíbrio de Poder?

Um ano após ter feito a formação de facilitadores, agora atuando como facilitadora em escolas, o pilar sobre Equilíbrio de Poder foi sendo reconstruído internamente, fazendo sentido de forma respeitosa ao processo e através do meu desenvolvimento enquanto facilitadora e principalmente quanto pessoa.

Há pouco tempo vivenciei essa abertura ao Equilíbrio de Poder, quando uma aluna exercendo o seu protagonismo propôs um check in: um jogo onde todos os participantes teriam que abrir as câmeras, algo desafiador no ambiente online e que fez com que aumentasse a energia e conexão daquele momento, e que pudéssemos seguir com o fio condutor que estava preparado para o encontro. 

E de forma equilibrada veio essa desconstrução, acompanhada dessa noção que a cada encontro construímos algo potente podendo cultivar o aprendizado coletivo, a empatia, a escuta ativa e o trabalho das competências socioemocionais.

O poder em nossa metodologia vem para ampliar o campo das possibilidades e abrir espaço para que todos possam ser protagonistas, gerando engajamento e enriquecendo o processo.

Nos acompanhe nas redes sociais e saiba em primeira mão assim que publicarmos novos artigos! E se inscreva em nossa newsletter na home do blog!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Comments